EM HOMENAGEM AO AUTOR D’A MENSAGEM REENCONTRADA

Em 16 de julho de 1953, saiu deste mundo, discretamente, Louis Cattiaux, o autor d’ A Mensagem Reencontrada, um libro único que escolhe um por um os seus leitores e que traça seu próprio caminho.

Louis Cattiaux disse que ele era:

 «o libro do final dos tempos, mas, sobretudo, o libro dos tempos novos».

Esta obra contém uma luz que é da mesma natureza que a luz que nos habita; quando se estabelece o diálogo entre ambas, o leitor desperta.

Pintor de profissão e leitor aplicado, Louis Cattiaux consagra sua vida a uma obra que o supera e inclusive que não lhe pertence, pois o verbo que o habita é quem o inspira um libro que «fala à intuição, ao amor e à memoria profunda» (XIX, 3’).

Como se diz em A Mensagem Reencontrada, «o humor do Perfeito se compraz em realizar grandes coisas com instrumentos irrisórios». (V, 4)

A seu prodigioso autor vai nossa homenagem e nossa eterna gratidão.

 

Ação.

Furor de amor:
a terra virgem,
povoada de consoantes,
recebeu no seu seio
as cinco vogais do céu azul.
Nasce, Verbo solar em sal
com os teus dezenove pontos de luz,
de calor e de fogo.
Soma-os e dá Um.
Repouso

 

Primeira edição em 1956

Edição brasileira em 2005

Ateliê de Louis Cattiaux